Hare Krishna Hare Rama Kirtan by Rikki & Shyam Sunder Das

Joy of Krishna Consciousness

ISKCON Desire Tree
Publicado em 17 de fev de 2017 (Youtube)

View all kirtans

Anúncios

Cantar Hare Krishna adianta mesmo?

Por que você fica cantando esse mantra?

Essas são perguntas que estou amando responder.

Se eu ficar apenas falando “água, água, água” , não vou matar minha sede. Preciso levantar, buscar e tomar a água, certo? Porém, o nome de Deus não é material como a água que bebemos. Os nomes de Deus são 100% espirituais e matam a sede da alma quando apropriadamente bebidos.

O fato é que não existe diferença entre Deus e o NOME de Deus.
O nome Dele possui uma potência especial em seu interior.

Mas… quando vou sentir os efeitos disso?
Quanto eu preciso cantar por dia?

Imagine que você tem um cesto de roupas sujas. Dependendo da sujeira (se a roupa está só empoeirada ou se está encardida), você poderá escolher um ‘ciclo’ na máquina de lavar. Quanto mais sujeira, mais tempo a roupa precisa na máquina. Da mesma maneira, quanto mais nosso coração está cheio de poeira (ofensas, raiva, luxúria, preconceito, inveja e etc.) mais santos nomes vamos cantar.

O coração é um espelho que reflete a forma verdadeira da alma. Mas como enxergar? Limpando a poeira do coração. Como? Cantando os nomes de Deus. Não há outra maneira.

Após limpar o coração, ao entender “QUEM SOU EU”, a pessoa poderá também ver e entender Deus. E então cantar os nomes de Deus se torna uma festa espiritual de amor sempre novo e crescente dentro do coração. Um “hare-krishna” nunca é igual ao outro! Cada nome de Deus é um sentimento ou uma sensação espiritual melhor que a outra!

Primeiro, limpe o coração.
Depois, descubra QUEM É VOCÊ, de verdade.
Depois, relacione-se diretamente com Deus.

É por isso que cantar Hare Krishna é tão benéfico!

Publicado por: 
Amanda Górski (Facebook)
13 de novembro de 2018

Srila Prabhupada Pranati

Prabhupada

nama om vishnu-padaya krishna-preshthaya bhu-tale
srimate bhaktivedanta-svamin iti namine

I offer my respectful obeisances unto His Divine Grace A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, who is very dear to Lord Krishna, having taken shelter at His lotus feet.

namas te sarasvate deve gaura-vani-pracarine
nirvisesha-sunyavadi-pascatya-desa-tarine

Our respectful obeisances are unto you, O spiritukindly preaching the message of Lord Caitanyadeva and delivering the Western countries, which are filled with impersonalism and voidism.

Listen:
Srila Prabhupada Pranati – Sung by HH Vishnu Jana Swami

Videos:
Srila Prabhupada Pranati – Watch Videos

Source:
www.iskcondesiretree.com

More mantras

Dia 11 de Novembro, Desaparecimento de A. C. Bhaktivedanta Swami Maharaj Prabhupad

DEMOLINDO OS PILARES DO EGO
Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj

45854013_2455725827803069_3807923858674024448_nPor que vim para o Ocidente?
Anteriormente, um grande general na linha da consciência de Krishna, Srila A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, sentiu grande necessidade de pregar a consciência de Krishna, especialmente no mundo ocidental. Ele estava ávido para fazer isso, e, assim que foi possível, ele tentou vir. E ele veio sozinho. Mas qual era seu sentimento? O que ele realmente desejou fazer, e por quê? Também estou conectado a essa consciência, e posso dizer que é a necessidade mais elevada das almas condicionadas. Quem puder compreender isso não poderá tolerar viver sem dar um pouco dessa consciência. Esta era a posição de Srila Prabhupada. Ele estava sempre sentindo compaixão pelas almas condicionadas que estão sofrendo tanto neste plano mundano. Almas condicionadas não podem compreender o que é bom para sua vida real, sua vida eterna. Esse sentimento trouxe Srila Prabhupada ao Ocidente. Sem dúvida, seu Gurudeva, Srila Bhakti Siddhanta Saraswati Thakur, ordenou-lhe que pregasse no Ocidente, mas Srila Bhakti Siddhanta Saraswati Thakur deu essa ordem também a todos os demais devotos. O sentimento de fazer bem aos outros estava profundamente enraizado no coração de Srila Swami Maharaj. Ele não tinha dinheiro nem muita experiência, mas ele tinha avidez, afeto, e um coração pleno e bom. Com um coração pleno e bom, ele não podia tolerar a falta de conhecimento e de consciência de Krishna das almas-jivas, e assim ele tentou vir para o Ocidente. Ele tentou muito dar consciência de Krishna, e, durante o primeiro ano, sofreu de tantas maneiras, mas sua avidez e seus sentimentos profundos trouxeram sucesso à sua pregação da consciência de Krishna. Ele começou sozinho, mas – eko ham bahu syam – “Eu, o Uno, me tornei muitos.” Este é um aforismo dos Upanishads. No início, Bhagavan, o Supremo Senhor, estava sozinho e, então, tornou-se muitos, e com Seu coração cheio de Amor Ele manifestou-Se em milhões de Formas. Do mesmo modo, Srila Swami Maharaj, cujo coração estava cheio do Amor Divino, queria distribuir consciência de Krishna. Ele sentia que era uma necessidade extrema das almas condicionadas, e se elas não recebessem isso, o que obteriam? E de que modo viveriam? Na realidade, ele estava muito perturbado e não podia entender porque as almas condicionadas estavam correndo de lá pra cá dentro do meio ambiente ilusório. Seu sentimento era muito forte. Ele queria dar alguma coisa, e a deu primeiro no mundo ocidental.

Publicado por:
Damodaradas Dagoberto de Almeida
Em 11 de Novembro de 2018 no Facebook

Templo Hare Krishna Florianópolis

Govardhana_2018

Hare Krishna amigos!

Com muita alegria convidamos à todos para o GRANDE festival de Govardhana!!

Sim!! É quele festival que fazemos uma montanha de doces!!

Venha conhecer mais sobre esse lindo passatempo, no qual o Senhor Krishna levanta a colina de Govardhana!!

Contamos com sua participação!!

Tudo gratuito!!

Templo Hare Krishna de Florianópolis (Facebook)

Link do evento:
https://m.facebook.com/events/2017505935005919?acontext=%7B

Devastating Rainfall in Vṛndāvana

krishna-saves

When Indra understood that the sacrifice offered by the cowherd men in Vṛndāvana was stopped by Kṛṣṇa, he became angry, and he vented his anger upon the inhabitants of Vṛndāvana, who were headed by Nanda Mahārāja, although Indra knew perfectly well that Kṛṣṇa was personally protecting them. As the director of different kinds of clouds, Indra called for the sāṁvartaka. This cloud is invited when there is a need to devastate the whole cosmic manifestation. The sāṁvartaka was ordered by Indra to go over Vṛndāvana and inundate the whole area with an extensive flood. Demonically, Indra thought himself to be the all-powerful supreme personality. When demons become very powerful, they defy the supreme controller, Personality of Godhead. Indra, though not a demon, was puffed up by his material position, and he wanted to challenge the supreme controller. He thought himself, at least for the time being, as powerful as Kṛṣṇa. Indra said, “Just see the impudence of the inhabitants of Vṛndāvana! They are simply inhabitants of the forest, but being infatuated with their friend Kṛṣṇa, who is nothing but an ordinary human being, they have dared to defy the demigods.”

Read more
http://www.krishnalilas.com

See more lilas

Krishna e a Colina de Govardhana

Krishna e a Colina de Govardhana

Govardhana é o nome de uma montanha sagrada que está intimamente ligada à história de Krishna. Certa vez, Indra, o rei dos deuses, que comanda os raios e as tempestades, duvidando do caráter divino do menino Krishna, convocou as nuvens da destruição universal em direção à vila de Vrindávana, onde Krishna morava e divertia-se com seus familiares, amigos, vizinhos e vacas – muitas vacas.

Observando o temor e a aflição dos seus devotos, Krishna simplesmente ergueu, com o dedo mínimo de sua mão esquerda, a montanha de Govardhana para proteger toda a vila do terrível aguaceiro que se anunciava.

A tempestade durou dias e noites e Krishna, nem um pouco cansado pelo esforço de levantar a montanha, alegremente brincou com o seu – guarda-chuva, desprezando, assim, o poder limitado do invejoso Indra, que, tomando consciência de quem era verdadeiramente aquele jovem garoto de tez azul-escura (gana-shyama), dispersou, finalmente, as nuvens e prostrou-se perante Krishna com respeito e devoção.

A história representa, para os vaishnavas, devotos de Vishnu/Krishna, a energia ilimitada da qual somos essencialmente constituídos e que é personificada na beleza e força de Shri Krishna. A montanha é a proteção oferecida aos devotos, aos yogis, que procuram estar sempre engajados na purificação de suas existências.

Originalmente postado por:

Chandra Kaladd em 27 de outubro de 2011
http://jornalharekrsnabrasil.blogspot.com

See more lilas